Inauguramos um novo quadro aqui no News, Mulheres na Sustentabilidade e toda a semana faremos uma homenagem e contaremos um pouco a historia de uma #girlpower e hoje começamos com a historia da estilista Stella McCartney.

Nascida em Londres a estilista carrega de berço um sobrenome de peso, filha do ex-Beatles, Paul McCartney, a estilista tinha tudo para viver na sombra e fama do pai, mas não foi o que aconteceu, Stella provou que seu talento para as artes é de berço e foi muito além do sobrenome famoso, conquistou críticos e o mundo da moda com a sua visão inovadora.

Inovadora pois Stella foi uma ou se não a primeira marca de luxo a ter em seu DNA a sustentabilidade. Visão essa que segundo a estilista, herdou de sua mãe Linda, que era fotógrafa e ativista em favor dos animais.

Foto: Stella com seus pais, Paul e Linda

“Fui privilegiada, cresci em uma fazenda orgânica e vi as estações do ano. Meus pais eram vegetarianos, eles eram agentes de mudança – eu levei essa maneira de olhar o mundo para o meu trabalho, para criar um produto que seja sexy, desejável e luxuoso, e ao mesmo tempo não seja um aterro sanitário. As pessoas que desejam trabalhar na indústria da moda agora (e ainda mais daqui a cinco ou 15 anos) querem trabalhar em uma empresa que tenha ética, e isso vale para todos os negócios. Eles querem trabalhar em um lugar que tenha um boa base moral. O que faço todos os dias no meu local de trabalho é experimentar melhores práticas dentro da indústria da moda.”

Além de Stella ser vegetariana, busca em suas criações materiais que não tenham origem animal e que também agridam menos o meio ambiente. Adepta de tecidos tecnológicos a estilista aposta não só em pesquisa mas também faz uso de novas tecnologias, como o tecido Microsilk, material biológico que imita a seda real feita por aranhas, uma das mais fortes fibras naturais e o MyloTM, um couro à base de micélio de cogumelo.

“Estou tentando incentivar as pessoas a ficarem mais atentas ao que consumimos. como o Rayon, vem da polpa da madeira. Somente neste ano, até 150 milhões de árvores foram cortadas. É um dos tecidos mais utilizados na indústria da moda. Passei três anos da minha vida tentando encontrar uma solução, para assim obtermos toda a nossa celulose viscosa de uma floresta sustentável na Suécia. Esse é o conhecimento que quero trazer para o meu setor. Precisamos dar às pessoas as informações para que elas comprem de maneira mais informada e melhor.”

E não para por ai, uma de suas famosas criações é a bolsa Falabella, muito utilizada entre as celebridades, a bolsa de luxo que sai do convencional material de couro animal, é toda feita de couro vegetal e pet reciclado.

Foto: bolsa Falabella feita em couro vegetal e pet reciclado.

A estilista vai além e prova que se preocupa de verdade com os animais, um bom exemplo foi com a sua linha de beleza, a Care, 100% orgânica, a estilista renunciou a milhões de dólares em faturamento ao recusar vender seus produtos na China. “Ninguém fala sobre isso, mas todas as marcas de beleza que são vendidas na China são testadas em animais. Todas!”.

Nós da Thirty Seven Trend somos fãs dessa #girlpower e temos em nosso DNA a sustentabilidade também e o empoderamento de mulheres. Em nosso marketplace você encontra produtos slow fashion feitos por mulheres e com menor impacto ambiental e assim como as bolsas da Stella, aqui você encontra opções de bolsas veganas. Gostou do quadro mulheres na sustentabilidade?, então fique ligado que postaremos mais historias como essa. Enquanto isso vem conhecer nosso marketplace e as marcas lindas que fazem parte dessa mudança. VEM!